Como o Implanon funciona? - Patrícia Peres

Como o Implanon funciona?

Ginecologia

Como o Implanon funciona?

Está pensando em uma alternativa de método contraceptivo? Quer saber como o Implanon funciona? Tire todas as suas dúvidas sobre o método neste post

O Implanon é é um bastonete bastante pequeno inserido sob a pele do braço da mulher para atuar como contraceptivo. Ele é invisível e evita a gravidez por até três anos.

Muitas pacientes com quem converso em meu consultório têm dúvidas sobre esse método contraceptivo. Por isso, hoje eu decidi responder aqui em meu blog 9 perguntas frequentemente fazem. Pode ser que seja a sua dúvida também!

  1. Qual é a eficácia do Implanon?

Os estudos comprovam alta eficácia, com dados de que apenas 5 a cada 10.000 mulheres engravidarão em um ano usando o implante subdérmico.

Em comparação:

  • 2 a cada 1.000 usando o DIU hormonal
  • 8 a cada 1.000 usando o DIU de cobre.

Para se ter uma ideia da efetividade desses métodos, a laqueadura tubária tem a estimativa de 5 falhas em cada 1.000 mulheres.

  1. Qual a duração do implante?

Ele age por 3 anos. Após esse período, deve ser feita a troca.

  1. Como é feita a Colocação?

A colocação do implanon é feita em consultório médico. O procedimento dura poucos minutos e consiste na inserção do implante como uma aplicação de injeção na face anterior do braço, geralmente de seis a dez centímetros acima da linha do cotovelo e embaixo da pele, com anestesia local. O dispositivo é invisível e não causa incômodo. O médico orientara o melhor momento para inserir.

  1. Quem pode colocar o Implante?

Deve ser realizado uma avaliação médica completa, com história pessoal e familiar e exame clínico. Esta indicado para mulheres de todas as idades (que já tiveram a 1ª. Menstruação), que nunca tiveram relações sexuais, no pós-parto e na amamentação (não interfere na qualidade e nem na quantidade de leite). Pode ser usado em pacientes com doenças como hipertensão, diabetes e de tireoide. É um método ideal para quem esquece de tomar pílulas ou que não pode usar hormônios combinados (com estrogênios), para quem fez cirurgia bariátrica, para quem tem dificuldade de tomar medicamentos, ou têm enjoos. Auxilia muito na diminuição do fluxo menstrual, nas cólicas e sintomas da TPM.

  1. Existe alguma contra-indicação?

Sim. Nos casos de gravidez e câncer hormônio-dependente, principalmente câncer de mama.

  1. Como é a retirada do Implanon?

Apesar de durar três anos, o dispositivo pode ser retirado a qualquer momento. O procedimento de extração ocorre com anestesia local e uma pequena incisão no local em que o chip se encontra. Em raros casos, o dispositivo pode mudar de posição, sendo necessária investigação médica e/ou exames complementares para localizá-lo.

  1. O implante altera a fertilidade? Quanto tempo depois de retirado ocorre a gravidez?

O tempo de volta à fertilidade após retirar o implanon varia de acordo com o organismo de cada mulher. A bula do produto recomenda tentar engravidar após a menstruação seguinte à retirada.

  1. O implante altera a menstruação?

Sim. Como a ovulação e a menstruação são inibidas pelo hormônio, pode haver sangramento irregular nos primeiros meses após a colocação. A prevenção da gravidez começa após a implantação, porém o organismo pode levar até seis meses para se adaptar ao método. Portanto, nesse período poderá haver desregulação da menstruação, e o período de adaptação depende de cada organismo. Os escapes podem ser variáveis, contudo, a eficácia contraceptiva é mantida.

  1. Quais os efeitos colaterais?

Além da irregularidade na menstruação, sendo caracterizado por sangramentos de escapes, tipo borra de café, pode haver sangramentos maiores ou por outro lado a ausência de menstruação.

O Implanon também pode aumentar a acne, a oleosidade da pele. Dependendo de alguns casos, isso pode ser controlado com medicações. Ele pode causar dor de cabeça, geralmente no primeiros 3 meses, o que geralmente melhora após esse período.

Há também relatos de dor nas mamas e alterações de humor. Eventualmente pode ocorrer dor e vermelhidão no lugar da aplicação nos primeiros dias. Alguns desses efeitos colaterais também são comuns em usuárias de DIU hormonal, que é um dos métodos mais semelhantes ao Implanon.

Lembre-se: é importante sempre consultar o médico sobre os métodos contraceptivos e decidir juntos a melhor opção pra você.

Espero que essas informações possam ser úteis, assim como outras que estão em meu blog. Mas lembre-se sempre: nada substitui uma consulta ao médico. Informe-se e conte com um profissional de confiança para cuidar de sua saúde. ?

Quer receber mais conteúdo de valor sobre saúde e saúde da mulher? Acompanhe a minha página no Facebook

drapatriciaperes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.