Coqueluche na atualidade - Patrícia Peres

Coqueluche na atualidade

Obstetrícia

Coqueluche na atualidade

A coqueluche, doença infecciosa aguda, também chamada de “tosse comprida”, tem como principal agente etiológico a bactéria Bordetella pertussis. Importante causa de morbi-mortalidade infantil, O contágio se dá pelo contato direto com a pessoa infectada ou por gotículas eliminadas pelo doente ao tossir, espirrar ou falar. A infecção pode ocorrer em qualquer época do ano e em qualquer fase da vida, mas acomete especialmente as crianças menores de dois anos.

shutterstock_171526592

De acordo com dados fornecidos pela Organização Mundial da Saúde, desde 2010, houve aumento significativo dos casos de coqueluche em adolescentes e adultos no Brasil. Na América Latina, eles praticamente triplicaram em cinco anos.

Entre 2011 e 2013, o Ministério da Saúde registrou 4912 casos e crianças abaixo de 3 meses de idade no Brasil, o que equivale a 35% das infecções totais. Desta forma, a vacinação de gestantes nos últimos meses de gravidez (a partir de 27 semanas) torna-se importante para proteger o recém-nascido, assim como a vacinação dos bebês aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Atualmente a vacina recomendada a gestantes é a vacina acelular contra diffteria, tétano e coqueluche (dTpa). A intenção é de proteger o bebê a partir do seu nascimento através da passagem de anticorpos da mãe durante a gestação. Os estudos realizados não demonstram a ocorrência de eventos adversos após a vacinação. A única contraindicação se refere às pessoas que apresentaram reação anafilática ao receber vacinas dT ou dTpa.

CONSULTE SEU MÉDICO E ATUALIZE AS VACINAS. ISSO É MUITO IMPORTANTE PARA GARANTIR SUA SAÚDE DE DO SEU BEBÊ.

sk_624

drapatriciaperes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.