tUDO SOBRE O DIU

POR DRA. PATRÍCIA PERES

O Dispositivo Intrauterino (DIU) é um pequeno objeto de plástico em formato de T, podendo ser revestido de cobre, prata ou ser medicado com hormônio. É inserido no útero para atuar como método contraceptivo, que até pouco tempo atrás, muitas mulheres não cogitavam em colocar. 

Contudo, a busca por outras opções para se evitar a gravidez com alta eficácia, com menos efeitos sobre o organismo, sem hormônios, ou até a busca de opções com baixas taxas hormonais, fez do DIU uma boa escolha pelas mulheres modernas.

DIU de Cobre  

O DIU de cobre é um método muito seguro, com eficácia de cerca de 99,7%, além da vantagem de longa duração: 10 anos. Ele age principalmente aumentando o muco dentro do útero, cria um ambiente hostil, impedindo o encontro do óvulo com o espermatozoide. 

É o principal método indicado pela Febrasgo para pacientes adolescentes e para pacientes que não podem usar métodos hormonais.  

Assim, pode ser colocado em pacientes que nunca engravidaram, que estão amamentando ou que possuem diversas doenças, como pressão alta, diabetes, obesidade, fumantes ou com enxaqueca. 

Como principais efeitos colaterais, podem ocorrer aumento de cólicas e do fluxo menstrual, como também aumento de secreção vaginal clara, porém isso não é regra. A maioria das pacientes ficam bem ou têm alterações muito leves. Como não tem hormônios, o DIU de cobre não está relacionado com alterações de peso, de humor, de circulação, por exemplo.

O dispositivo intrauterino (DIU) de cobre se sobressai hoje como o método anticoncepcional reversível mais usado no mundo: cerca de 170 milhões de usuárias, ultrapassando de longe a pílula anticoncepcional que tem cerca de 110 milhões de usuárias, segundo informações da OMS.

DIU Hormonal  – Mirena

O DIU Hormonal (SIU) é um dispositivo pequeno e macio em forma de T, com um reservatório que contém o hormônio levonorgestrel, que é um  progestágeno. A liberação contínua de doses baixas desse hormônio no útero, torna o muco do colo uterino mais espesso, o que dificulta a mobilidade do esperma para alcançar o óvulo. 

Por outro lado, a ação desse hormônio também afina o endométrio, que é a camada interna do útero, responsável pela menstruação, e assim, diminui o fluxo de sangramento e cólicas menstruais. Por isso, tem sido escolhido por pacientes que sofrem desse sintomas e inclusive por pacientes com dores pélvicas, como a endometriose. Tem duração de 5 anos.

A colocação do DIU é dolorida?  

Em geral, a inserção do DIU é bem tolerada pela maioria das mulheres. É feita em poucos minutos no consultório, através de exame ginecológico. Algumas usuárias podem sentir cólicas leves e tontura após a inserção, que normalmente desaparecem depois de um curto intervalo de repouso. Antes da inserção pode-se utilizar analgésicos comuns ou aplicar anestesia local no colo uterino.

Consulte um especialista para tirar todas as suas dúvidas sobre o DIU e os métodos contraceptivos disponíveis atualmente.  

Lembre-se: o melhor método é o que você escolhe como ideal para sua vida.

Baixe o e-book gratuito

Deixe seu comentário